Aluguel de Ferramentas









Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


05/08 - Médicos curados da Covid-19 doam plasma para pesquisa no Hemocentro, em Goiânia
Estudo visa obter resultados que ajudem na recuperação de pessoas com coronavírus que estejam com quadro grave; veja como participar. Médicos recuperados da Covid-19 doam plasma para ajudar a tratar casos da doença Após se curarem da Covid-19, dois médicos decidiram doar plasma convalescente para pesquisa que pode ajudar pessoas que passam por estados críticos da doença, em Goiânia (veja como participar ao fim do texto). Um dos médicos, o anestesista Luciano Bebs, conta que teve medo de morrer devido às consequências do coronavírus e espera que o estudo evite que outras pessoas passem pela mesma situação. “Comecei a apresentar os sintomas no dia 21 de junho, achei que não ia dar conta, passei muito mal, sentia muitas dores e falta de ar. Além disso, eu tinha muito medo da morte. O isolamento das pessoas que você ama também é difícil, seu psicológico fica muito abalado”, conta Bebs. Luciano conta que ainda no tratamento, seu médico, Marcelo Rabahi comentou sobre o protejo de doação do plasma convalescente. “Assim que o Marcelo falou comigo sobre a doação, eu fiquei doido para ajudar. Bastava dar o tempo e fazer o exame para detectar os anticorpos. Foi além do que eu imaginava, o nível de IgG foi bem alto e eu pude doar o plasma”, disse o anestesista. O médico pneumologista Marcelo Rabahi, é coordenador de Ensino e Pesquisa do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech) e é um dos coordenadores do projeto de pesquisa do Hemocentro. Segundo ele, um único voluntário pode fazer até três doações com intervalos de 14 dias no Hemocentro. Rabahi já contraiu a doença da Covid-19, se curou e também fez a doação do plasma. “É uma satisfação muito grande fazer parte dessa pesquisa, é uma luz da ciência no meio da pandemia, tanto como voluntário quanto como coordenador, é muito gratificante”, ressalta Marcelo. De acordo com Luciano, a vontade de ajudar o outro foi de forma imediata ele conta que seu objetivo foi pensando em contribuir com a pesquisa que pode atuar na melhora das pessoas que passam por estados críticos da Covid-19. “Não quero ver pessoas mal como eu fiquei, minha intenção maior foi essa, não foi fácil passar pelo que passei”, ressalta Luciano. A doação de Luciano aconteceu na última terça-feira (4) no Hemocentro. “Foi um procedimento tranquilo e com muita segurança. Eu sai tão alegre de lá, entrei no carro após a doação tão feliz, foi tão bacana, aquilo parece que fez mais bem pra mim mesmo”, disse. Médico Luciano Bebs realizou a doação de plasma no Hemocentro, em Goiânia, Goiás Hemocentro/Divulgação “É uma doença muito séria, é necessário sim se proteger e se cuidar, usar máscara, lavar as mãos, fazer o distanciamento e o principal que é ter responsabilidade consigo e com o outro”, destaca Luciano. Para doar o plasma, os voluntários que já se curaram da Covid-19 devem ter: Idade entre 18 a 60 anos Peso igual ou acima de 60 Kg Mulheres que não tenha gestações prévias Apresentar resultado de teste positivo para Covid-19 (com laudo) e estar sem sintomas há mais de 14 dias Os interessados devem entrar em contato com o Hemocentro pelo e-mail plasma.hemocentro@idtech.org.br ou pelo telefone (62) 3201-4101 ou 3201-4570. Pesquisa com plasma O projeto de pesquisa é realizado no Hemocentro e prevê a participação de 140 pacientes divididos em dois grupos, nos quais, metade receberá o tratamento e a outra não, para se verificar a real eficácia do tratamento. “Será verificado se o plasma traz ou não benefício para o tratamento da Covid-19. Tivemos uma boa coleta de plasmas, acredito que dentro de dois meses vamos obter os resultados”, adianta o médico Marcelo Rabahi. Espera-se dos resultados da pesquisa que os pacientes que receberão o plasma tenham uma recuperação mais rápida no estado clínico. No entanto, ainda é uma modalidade de tratamento que requer comprovação científica de sua real eficácia. O Hemocentro Coordenador Estadual Prof. Nion Albernaz, sob orientação da Secretaria de Estado de Saúde, é a única unidade do Sistema Único de Saúde (SUS) a desenvolver projetos de pesquisa sobre o uso do plasma convalescente no tratamento de pessoas com Covid-19 em Goiás. O projeto tem aprovação da Comissão Nacional de Ética e Pesquisa (Conep). Além do pneumologista Marcelo Rabahi, coordenam o projeto a diretora-médica do Hemocentro, Alexandra Vilela e a hematologista do Hemocentro Maria do Rosário Ferraz. Os projetos contam com a participação de 12 profissionais da saúde das mais diversas áreas de atuação. A pesquisa foi elaborada com base nos estudos que demonstraram benefício no tratamento de infecções virais graves, seja na pandemia de H1N1, ou na atual pandemia de Covid-19. Médico Marcelo Rabahi doa plasma no Hemocentro, em Goiânia, Goiás Hemocentro/Divulgação Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
Veja Mais

05/08 - Assista ao JAP2 desta quarta-feira
Participe com Salgado Neto usando #JAP2 ou pelo (96) 99112-6310. Assista ao JAP2 desta quarta-feira Participe com Salgado Neto usando #JAP2 ou pelo (96) 99112-6310. O G1 transmite ao vivo, diariamente, os telejornais Jornal do Amapá - 1ª edição, às 12h, e o Jornal do Amapá - 2ª edição a partir de 19h10. . De terça à sexta-feira, o portal também transmite o quadro de entrevistas G1 na Rede, a partir de 13h30.
Veja Mais

05/08 - Veja detalhes da explosão em Beirute
Quase 2,7 mil toneladas de nitrato de amônio explodiram em porto da cidade libanesa. Milhares de pessoas ficaram feridas. Uma enorme explosão devastou a área portuária de Beirute, capital do Líbano, nesta terça-feira (4) . A tragédia deixou mais de 100 mortos, 4 mil feridos e 100 desaparecidos, segundo estimativa da Cruz Vermelha libanesa. Veja mais detalhes da explosão a seguir: Detalhes da explosão em Beirute; veja poder de alcance da destruição Guilherme Luiz Pinheiro/G1 Entenda o que é o nitrato de amônio, o composto químico que causou a explosão no Líbano Comparação com bombas O incêndio e explosão em Beirute gerou comparações com detonações de bombas atômicas, em razão do formato de cogumelo. Nesse tipo de explosão, o ar e gases em alta temperatura se expandem rapidamente para cima. Ao entrar em contato com o ar mais frio, essa massa esfria repentinamente. Com isso, a água se condensa (passa do estado gasoso para o líquido), o que significa a formação de uma nuvem. Ainda que visivelmente semelhantes, os dois tipos de explosão são muito diferentes. No caso das atômicas, há a dispersão de material nuclear, que provoca destruição ainda maior e incêndios, além de outros efeitos, como chuvas ácidas. Na imprensa internacional, alguns especialistas estimaram que a explosão em Beirute teve intensidade equivalente a um quiloton. A bomba de Hiroshima, lançada no Japão em 1945, foi detonada com intensidade de 16 quilotons. Em Hiroshima, a bola de fogo explodiu a um milhão de graus centígrados. Num rio de 340 metros, os prédios foram demolidos e seriamente danificados. Todas as pessoas morreram. A onda de choque inicial gerou rajadas de 1,5 quilômetro por segundo que arrastaram com força os escombros. Um cogumelo nuclear se elevou acima da cidade até atingir 16 km de altura. Houve a presença de clarão branco ofuscante e um pulso térmico, ou onda de calor, que iniciou incêndios em toda a área e queimou gravemente a pele das pessoas. A explosão matou de forma imediata cerca de 80 mil pessoas. Até dezembro do mesmo ano, o número de mortos subiu para 140 mil, em razão de ferimentos e dos efeitos da contaminação nuclear. Veja outros acidentes causados pelo nitrato de amônio no mundo Initial plugin text
Veja Mais

05/08 - Explosão em Beirute: 9 momentos históricos em que o nitrato de amônio causou tragédia
O nitrato de amônio não é um material explosivo em si, mas, em doses médias e altas e na presença de substâncias combustíveis, como óleo, ou fontes de intensas de calor, pode causar fortes explosões. Veja a região portuária de Beirute, no Líbano, antes e depois da explosão de terça-feira (4) Guilherme Pinheiro/ G1 O nitrato de amônio, principal suspeito de ter causado a megaexplosão que devastou a capital do Líbano, Beirute, já fez parte de vários atentados ou acidentes industriais, inclusive no Brasil. A substância, um sal branco e inodoro, é usada primordialmente como fertilizante em forma de grânulos, altamente solúveis em água e que os agricultores compram em grandes quantidades. Também é um dos principais componentes de explosivos usados em minas. Veja imagens do porto de Beirute no dia seguinte a explosão Essa é a principal linha de investigação sobre o que aconteceu na capital libanesa, segundo autoridades locais. Grandes quantidades da substância, 2.570 toneladas, permaneceram armazenadas no porto de Beirute após terem sido confiscadas de um navio que saiu da Geórgia com destino a Moçambique há mais de seis anos. A estocagem dessa substância deve seguir normas rigorosas de isolamento de líquidos inflamáveis ou corrosivos, sólidos inflamáveis ou substâncias que emitam calor. Em novembro do ano passado, por exemplo, o Comando Logístico do Exército Brasileiro divulgou uma portaria estabelecendo "procedimentos administrativos para o exercício de atividades com explosivos e seus acessórios e produtos que contêm nitrato de amônio". Isso inclui regras rígidas para fabricação, importação, exportação, comércio, transporte, detonação, locação e utilização da substância. A explosão em Beirute deixou pelo menos 100 pessoas mortas e outras milhares feridas. Cerca de 300 mil pessoas estão desabrigadas, informou o governo. 1) Fábrica da Basf em Oppau (Alemanha) - 1921 Um dos primeiros acidentes com nitrato de amônio deixou 561 mortos e quase 2 mil feridos em 1921 Universidade de Houston/Via BBC Um dos primeiros acidentes com nitrato de amônio deixou 561 mortos e quase 2 mil feridos em 1921. Ocorreu em uma fábrica da Basf em Oppau, na Alemanha, quando cerca de 4,5 mil toneladas de uma mistura de sulfato de amônio e nitrato de amônio explodiram. Foram duas explosões, uma de menor intensidade e, em seguida, a maior, com efeitos catastróficos. Elas foram ouvidas até em Munique, a 300 km de distância. Das cerca de mil casas da pequena cidade, 80% foram destruídas. Não se sabem exatamente as causas da tragédia, pois todos os envolvidos morreram, mas acredita-se que foi causada quando trabalhadores tentaram "afofar" a mistura, que tende a se solidificar, transformando-se em uma substância parecida ao gesso, com pequenas cargas de dinamite. Era uma prática comum na época, quando se pensava que misturas contendo menos de 60% de nitrato não explodiriam. 2) Navio no Porto de Texas City, no Texas (EUA) - 1947 Foi o acidente industrial mais mortal da história dos EUA e uma das maiores explosões não nucleares da história. A tragédia aconteceu em 16 de abril de 1947, quando um incêndio no meio da manhã atingiu o navio SS Grandcamp, de bandeira francesa e ancorado no porto. As chamas provocaram a detonação de cerca de 2,3 mil toneladas de nitrato de amônio armazenadas na embarcação. Isso iniciou uma reação em cadeia de incêndios e explosões em outros navios e nas instalações de armazenamento de petróleo vizinhas, matando pelo menos 581 pessoas nas proximidades, com exceção de um bombeiro. O desastre levou à primeira ação coletiva contra o governo dos Estados Unidos, em nome das vítimas. 3) Atentado em Oklahoma City (EUA) - 1995 Atentado em Oklahoma City levou autoridades do país a endurecer regras sobre armazenamento do nitrato de amônio FBI/Via BBC Em 19 de abril de 1995, o extremista americano Timothy McVeigh detonou uma bomba feita com duas toneladas de nitrato de amônio na frente de um edifício federal em Oklahoma City, capital do Estado de Oklahoma, matando 168 pessoas e ferindo outras 700. O atentado levou as autoridades do país a endurecer as regras sobre o armazenamento da substância. Segundo a lei americana, instalações que armazenem mais de 900 kg de nitrato de amônio são obrigadas a passar por inspeções regulares. 4) Usina da AZF em Toulouse (França) - 2001 Cerca de 300 toneladas de nitrato de amônio armazenadas em um galpão da usina química AZF, em Toulouse, explodiram em 21 de setembro de 2001, causando a morte de 31 pessoas. A explosão pôde ser ouvida a 80 km de distância. 5) Atentado em discoteca em Bali (Indonésia) - 2002 O nitrato de amônio foi usado na fabricação de explosivos usados no atentado contra uma discoteca no distrito turístico de Kuta, na ilha indonésia de Bali, em 12 de outubro de 2002, que deixou 202 mortos, sendo 88 australianos, e 209 feridos. O ataque envolveu a detonação de três bombas e foi reivindicado pelo grupo extremista Jemaah Islamiyah. Por volta das 23h daquele dia, um homem-bomba dentro da discoteca Paddy's Pub detonou uma bomba em sua mochila, fazendo com que muitos clientes, com ou sem ferimentos, fugissem imediatamente do local para a rua. Vinte segundos depois, uma segunda bomba, muito mais poderosa e escondida dentro de uma van, foi acionada por outro homem-bomba. Uma terceira bomba foi detonada do lado de fora do consulado dos EUA em Denpasar, que se acredita ter explodido pouco antes das duas bombas de Kuta, causou ferimentos leves a uma pessoa e danos materiais mínimos. 6) Ataque em Oslo (Noruega) - 2011 A substância também foi usada no ataque a bomba pelo extremista norueguês Anders Behring Breivik em 22 de julho de 2011. A explosão de um carro-bomba em Oslo, capital da Noruega, mirou o Regjeringskvartalet, bairro do governo executivo do país. A bomba foi colocada dentro de uma van ao lado do bloco da torre que abrigava o escritório do então primeiro-ministro Jens Stoltenberg. A explosão matou oito pessoas e feriu pelo menos 209 pessoas, doze com gravidade. Breivik seguiu para a ilha de Utoya, onde assassinou outras 67 pessoas a tiros. 7) Usina da West Fertilizer, no Texas (EUA) - 2013 A explosão aconteceu nas instalações de armazenamento e distribuição da West Fertilizer Company em West, no Estado americano do Texas, enquanto serviços de emergência tentavam debelar um incêndio criminoso na usina. Quinze pessoas morreram, mais de 160 ficaram feridas e mais de 150 edifícios foram danificados ou destruídos. Os investigadores confirmaram que o nitrato de amônio foi o material que causou a explosão. Em 11 de maio de 2016, o Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos dos Estados Unidos anunciou que o incêndio havia sido causado deliberadamente. 8) Armazém no porto de Tianjin (China) - 2015 Estrutura foi evacuada e nenhum funcionário ficou ferido Divulgação/Via BBC Uma explosão em um armazém pertencente a uma empresa de logística de produtos químicos no porto de Tiajin, na China, deixou 173 mortos e centenas de feridos em 2015. Produtos químicos e nitrato de amônio estavam armazenados juntos na instalação, localizada no leste do país. Foram duas explosões iniciais, que ocorreram a 30 segundos uma da outra. Mas a segunda explosão foi muito maior e envolveu a detonação de cerca de 800 toneladas de nitrato de amônio (equivalente a 336 toneladas de dinamite), formando uma bola de fogo que pôde ser vista à distância. Os incêndios causados pelas explosões iniciais continuaram a queimar sem controle durante o fim de semana, resultando em oito novas explosões em 15 de agosto. Dos 173 mortos, 104 eram bombeiros. 9) Tanque da Vale Fertilizantes em Cubatão (Brasil) - 2017 O incêndio começou na tarde de 5 de janeiro de 2017, depois de uma explosão em uma correia transportadora que alimentava o armazém da unidade de nitrato de amônio da Vale Fertilizantes, subsidiária da Vale, em Cubatão, em São Paulo. A estrutura foi evacuada e nenhum funcionário ficou ferido. O acidente aconteceu quando um dos tanques da empresa explodiu, provocando um grande vazamento de nitrato de amônio. Seguiu-se, então, um grande incêndio, com a emissão de grande quantidade de fumaça tóxica, resultante da queima de nitrato, de cor laranja avermelhada. Técnicos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) foram ao local e, com ajuda de um drone, monitoraram a área. O incêndio só foi completamente extinto após 15 horas. Um bombeiro precisou ser socorrido, vítima de intoxicação. Ele foi medicado e liberado.
Veja Mais

05/08 - Os riscos para a saúde após a megaexplosão no Líbano
Inalação de gases tóxicos resultantes da explosão de grandes quantidades de nitrato de amônio pode causar problemas respiratórios, alerta especialista. Inalação de gases tóxicos resultantes da explosão de grandes quantidades de nitrato de amônio pode causar problemas respiratórios, alerta especialista. Reuters O rescaldo da megaexplosão causada por nitrato de amônio que devastou Beirute, capital do Líbano, pode causar sérios riscos à saúde da população, alerta um especialista ouvido pela BBC News Brasil. Segundo Gabriel da Silva, professor do Departamento de Engenharia Química e Biomolecular na Universidade de Melbourne, na Austrália, o principal dele é a inalação de gases tóxicos. "Uma explosão de nitrato de amônio produz grandes quantidades de óxidos de nitrogênio. O dióxido de nitrogênio (NO₂) é um gás vermelho com mau cheiro. Imagens de Beirute revelam uma cor avermelhada distinta na nuvem de gases que se formou a partir da explosão", diz ele em entrevista à BBC News Brasil por telefone. "Os óxidos de nitrogênio estão geralmente presentes na poluição do ar urbano e podem irritar o sistema respiratório. Níveis elevados desses poluentes são particularmente preocupantes para pessoas com problemas respiratórios", acrescenta. Silva lembra que a fumaça deve apresentar um risco à saúde dos moradores da capital libanesa "até que ela se dissipe naturalmente, o que pode levar vários dias, dependendo do clima". Ele acrescenta que outro risco para a saúde é a inalação de poeira das construções que desabaram devido à magnitude da explosão. Vale lembrar que essa nuvem de poeira foi a causa de problemas respiratórios, quando não de morte, de muitos após o atentado às Torres Gêmeas em Nova York, em 11 de setembro de 2001. Vários deles inalaram nos dias que se seguiram ao ataque partículas microscópicas resultantes de materiais de construção moído, muitos deles altamente tóxicos, como amianto, chumbo, fibra de vidro e mercúrio. 'Chuva ácida' Silva acrescenta ainda que esses gases expelidos pela explosão poderiam causar chuva ácida. Isso ocorre "quando os óxidos de nitrogênio lançados na atmosfera reagem com a água das chuvas nas nuvens, produzindo o fenômeno", explica. A chuva ácida pode desencadear vários estragos ambientais, causando problemas para as plantas, para o solo, para os animais, para as águas de rios e lagos, além de contaminar também o lençol freático. Oferece, assim, um perigo também aos seres humanos. Fertilizante Silva explica que o nitrato de amônio é usado, primordialmente, como fertilizante em forma de grânulos, altamente solúveis em água e que os agricultores compram em grandes quantidades. Também é um dos principais componentes de explosivos usados em minas, onde é misturado com óleo combustível e detonado por carga explosiva. Mas ele ressalva que para que ocorra "uma tragédia com nitrato de amônio, muita coisa precisa dar errado". Silva lembra que a substância "não queima por conta própria". "Em vez disso, atua como uma fonte de oxigênio que pode acelerar a combustão (queima) de outros materiais", diz. "Para que ocorra combustão, o oxigênio deve estar presente. Os comprimidos de nitrato de amônio fornecem um suprimento de oxigênio muito mais concentrado do que o ar ao nosso redor. É por isso que é eficaz na mineração de explosivos, onde é misturado com petróleo e outros combustíveis", acrescenta. Segundo autoridades locais, a megaexplosão deixou pelo menos 100 pessoas mortas e milhares de feridas. Muitas outras seguem desaparecidas. Cerca de 300 mil estão desabrigadas. A explosão teria sido causada por 2.570 toneladas de nitrato de amônio armazenadas de forma perigosa no porto de Beirute, após terem sido confiscadas de um navio que saiu da Geórgia com destino a Moçambique há mais de seis anos. O governo libanês decretou Estado de emergência por duas semanas. Três dias de luto oficial também foram anunciados. O Líbano vem sofrendo com uma grave crise econômica, política e de saúde, com a pandemia do coronavírus. ‘Tenho amigos que perderam o apartamento inteiro', relata brasileiro no Líbano
Veja Mais

05/08 - Lei isenta portadores de doenças graves de pagar IPTU em Natal
Projeto de Lei foi mantido nesta terça (4) pelos vereadores, após veto do Executivo. Projeto de Lei foi mantido nesta terça (4) pelos vereadores de Natal, após veto do Executivo Elpídio Junior/Câmara Municipal de Natal Proprietários de imóveis em Natal portadores de doenças graves serão isentos do pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). A proposta foi mantida nesta terça-feira (4) pelos vereadores da capital, após veto do Poder Executivo ao projeto de autoria da vereadora Nina (PDT) O benefício vale para portadores do vírus HIV, câncer, nefropatias e problemas neurológicos graves. Se o proprietário tiver algum familiar residente no imóvel, como cônjuge ou filho, diagnosticado com uma dessas doenças, também será isento do pagamento do imposto. Para ter direito a isenção, o proprietário precisa comprovar também renda familiar de até dois salários mínimos no período em que ele ou o familiar, estiverem acometidos pela doença. Em caso de morte ou ao cessar a necessidade, a isenção é suspensa. O projeto de Lei levou em consideração os gastos das famílias com terapias, medicamentos e alimentação diferenciada para os pacientes com problemas de saúde. O texto será publicado no Diário Oficial do Município nos próximos dias.
Veja Mais

05/08 - Em 24 horas, MS confirma 637 novos casos e mais 10 mortes por Covid-19
O estado atingiu 28.315 registros da doença desde o início da pandemia e número de óbitos chegou a 442. Secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende Reprodução/G1 MS A secretaria estadual de Saúde (SES) confirmou nesta quarta-feira (5), 637 novos casos e mais 10 mortes por Covid-19 em Mato Grosso do Sul. O estado atingiu 28.315 registros da doença desde o início da pandemia e número de óbitos chegou a 442. Dos novos casos, 245 são de Campo Grande. A cidade totaliza 11.458 registros da doença. Isso significa que 40,4% das pessoas contaminadas com o novo coronavírus são moradores da capital. A SES aponta que são considerados casos ativos da doença no estado, 5.853 pessoas. Desse total, 5.380 estão em isolamento domiciliar e 473 estão internadas, sendo 197 em unidades de terapia intensiva (UTI’s). A taxa de ocupação de leitos de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado é de 60%. Em Campo Grande e em Corumbá, considerados pela SES, como epicentros da doença o índice é maior. Na capital, 92% e na cidade pantaneira 86%. O índice de pessoas que se recuperaram da doença em Mato Grosso Sul atingiu nesta quarta-feira (5), 77,7%, o que representa 22.020 casos. Mato Grosso do Sul, conforme a SES, tem 7.082 casos suspeitos em aberto. São 2.384 na fila do Laboratório Central (Lacen), em Campo Grande, e 4.756 que não foram encerrados pelos municípios. Desde o começo da pandemia o estado já realizou 125.306 testes para Covid-19. Momento da pandemia O secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, comentou nesta quarta que o estado vive um dos piores momento da pandemia. Disse que se colocam duas situações, a da saúde, em que está sendo feito um esforço para que não faltem leitos para o atendimento de pacientes com Covid-19 e o econômico, dos reflexos da pandemia sobre as empresas e o mercado de trabalho. Comentou que neste momento é preciso que as pessoas que fazem a tomada de decisões não percam a capacidade de dialogar e de buscar ações concretas de enfrentamento a doença e criticou a judicialização de questões relacionadas a doença. Melhoria da estrutura contra a doença O Secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, por sua vez, disse que houve uma reunião nesta manhã por videoconferência com o secretário de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, o prefeito de Aquidauana, e representantes do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) para discutir ações contra a pandemia nas aldeias indígenas do estado. Ele apontou que foram encaminhados para Aquidauana equipamentos, principalmente de proteção individual para profissionais que estão na linha de frente, e comentou que várias instituições estão se unindo para fazer esse enfrentamento nas aldeias. Em uma ação que envolve o Comando Militar do Oeste, prefeituras, governo do estado, DSEI e o Ministério da Saúde. Falou sobre a melhoria da estrutura para o atendimento de pacientes com Covid-19 em Aquidauana, com o encaminhamento na próxima semana de equipamentos para a montagem de cinco leitos de UTI no município. Resende anunciou também um reforço na estrutura em Campo Grande, com o encaminhamento de 10 ventiladores pulmonares para o Hospital Regional, o que vai elevar o número de leitos críticos da instituição para 101. Ele adiantou que a prefeitura de Campo Grande já mostrou disposição de auxiliar na montagem de mais 10 leitos de UTI também no Regional o que pode significar a partir da próxima semana que a unidade chegue a 111 leitos críticos. Disse que com os novos leitos que estão sendo entregues, o estado se aproxima de aumentar em 60% o número de leitos de UTI em relação aos que tinha antes da pandemia, mas que o objetivo é tentar chegar a 100% de incremento.
Veja Mais

05/08 - Polícia apreende veículos roubados em oficina de Sorocaba
Três pessoas estavam no local e foram encaminhadas para a delegacia, onde foram autuadas em flagrante por receptação qualificada. Policiais encontram veículos roubados em oficina de Sorocaba (SP) Divulgação/Polícia Civil A Polícia Civil apreendeu dois veículos roubados que estavam em uma oficina de funilaria no bairro Vitória Régia, em Sorocaba (SP), nesta quarta-feira (5). Uma equipe foi até o local após uma denúncia anônima e encontrou um carro e um caminhão roubados. Três pessoas estavam na oficina e foram levadas para a delegacia, onde foram autuadas em flagrante por receptação qualificada. Os três foram encaminhados para o sistema prisional, onde permanecerão à disposição da Justiça. Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí
Veja Mais

05/08 - VÍDEOS: TEM Notícias 1ª edição de Rio Preto e Araçatuba desta quarta-feira, 5 de agosto
Assista aos vídeos do telejornal com notícias da região noroeste paulista. Assista aos vídeos do telejornal com notícias da região noroeste paulista.
Veja Mais

05/08 - Nove mulheres grávidas já morreram com Covid-19 em Mato Grosso
Desse total, cinco delas faziam tratamento no Hospital Júlio Muller e dois bebês prematuros acabaram morrendo por causa da doença. 9 gestantes já morreram por Covid-19 em MT Nove mulheres grávidas já morreram com Covid-19 em Mato Grosso. O número preocupa os profissionais da saúde que alerta que os cuidados devem ser reforçados durante a gravidez na pandemia. No Brasil já são 204 gestantes vítimas da Covid-19. Patrícia Albuquerque, moradora de Colíder, não conseguiu vaga em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Mato Grosso e acabou sendo transferida para Goiânia. Ana Beatriz nasceu prematura e lutou nove dias para vencer a Covid-19, mas infelizmente a mãe dela não resistiu ao novo coronavírus. A Mariuza Lima, de Pontes de Lacerda, nem teve a chance de conhecer o bebê, morreu aos 41 anos lutando contra a Covid-19 num leito de UTI. O marido dela, Ermindo Pereira dos Santos, conta que perdeu a família e que isso serve de alerta para as pessoas evitarem aglomerações. “E perdi a minha família com isso, eu estou desestruturado, a gente tinha planos e foi tudo por água abaixo por essa doença. Então eu deixo esse alerta para que as pessoas se cuidem, que tratem melhor seus familiares. Que antes de saírem para um bar, para uma aglomeração, pendem para ficar em casa. É terrível, muito crítico”, afirma. Patrícia e Mariuza fazem parte das 204 grávidas vítimas da Covid-19 no Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Enfermeiros Obstetras e Neonatais (ABENFO), em Mato Grosso, de março a julho, nove grávidas com a Covid-19 morreram. Desse total, cinco delas faziam tratamento no Hospital Júlio Muller e dois bebês prematuros acabaram morrendo por causa da doença. O vice-presidente da ABENFO, Renata Cristina Teixeira, conta que antes da pandemia já havia um problema de mortalidade materna e que com a pandemia, isso agravou. “Normalmente a gente tem uma média de um óbito por ano neste hospital. A gente tem que pensar também que o problema da mortalidade materna já existia, então as mulheres continuam morrendo por outras causas. Nós temos além do problema antigo, o agravamento do problema com os óbitos causados em decorrência da Covid-19”, afirma. Os especialistas defendem a criação de uma rede de atendimento específica pra tratar gestantes com a Covid-19 separadas das que não tem a doença. “Essa é uma discussão que nos preocupa muito. As maternidades têm levantado esse problema pra que a secretaria municipal e estadual de saúde organize um programa específico para atender a população obstétrica que esteja suspeita ou confirmada com Covid-19”, afirma. A dona de casa Karen Redeschini de Lima vai dar a luz em poucos dias. Ela não está com a Covid-19, mas fica ansiosa toda vez que ouve uma notícia sobre mortes de gestantes. Pra não se contaminar com a doença, ela tem tomado todos os cuidados e seque à risca as recomendações do pré-natal. “É uma coisa incerta, a gente vê casos de grávidas que não tinham problema nenhum, nenhuma comorbidade e isso gera uma ansiedade de não saber como vai ser se eu pegar, como que eu vou conseguir evitar isso”. Eu tenho ido somente na casa dos meus pais e dos meus sogros que me ajudam com a minha outra filha pequena. Evito ao máximo ir em marcado, farmácia, só vou em último caso quando realmente é necessário”, afirma. A administradora Lívia Nery e o marido venceram juntos a Covid-19. Ela passou a gravidez sem sintomas da doença. Alívio mesmo, foi quando veio o primeiro filho, o Pedro, com muita saúde. “Independente de estar sem sintomas, foi muito difícil porque envolve muita coisa. As pessoas não querem se aproximar. Eu fiquei só no quarto, eu não queria nem o meu marido em casa que ficou no quarto do lado e se recusou a sair porque o teste dele deu negativo. Eu não tomei nenhum remédio da Covid-19 porque eu não tive sintomas e há três dias eu fiz o meu teste e já não tinha mais carga viral”, afirma. A médica ginecologista e obstetra, Alessandra Barboza, aconselha as grávidas para que redobrem os cuidados durante a pandemia. “A gente está pedindo para as gestantes ficarem em casa o máximo que elas puderem, só irem para as consultas médicas e muitas não estão indo. Muitas das vezes, não tem nem pra onde ir porque muitos pré-natais foram cancelados e com isso, a gente está vendo o aumento da mortalidade no mundo com relação as gestantes com Covid-19. Elas precisam ter acesso a consulta obstétrica”, afirma.
Veja Mais

05/08 - VÍDEOS: Diário TV 1ª Edição de quarta-feira, 5 de agosto
Assista aos vídeos dos telejornais da TV Diário. Assista aos vídeos dos telejornais da TV Diário.
Veja Mais

05/08 - Prefeitura aciona Polícia Militar para tentar evitar aglomerações em Itaú de Minas
Segundo prefeitura, muitas festas estão acontecendo na zona rural do município. Prefeitura pede ajuda à PM para conter aglomerações em Itaú de Minas A Prefeitura de Itaú de Minas (MG) acionou a Polícia Militar para tentar diminuir as festas que estão acontecendo na zona rural do município. A prefeitura chegou a publicar uma carta pedindo que a PM disponibilize o serviço da patrulha rural para coibir as festas nos sítios. No último domingo, até mesmo um salão de festas, onde iria acontecer uma festa de aniversário, foi fechado. A cidade tem 48 casos positivos da doença, com duas mortes. "Infelizmente parte da população não se conscientiza totalmente da gravidade da pandemia. Neste final de semana mesmo nós tivemos uma denúncia de uma festa que aconteceria em um local de evento dentro da nossa cidade. A nossa fiscalização interviu e paralisou esse aniversário que aconteceria", disse a secretária de Saúde, Alessandra Maria da Fonseca. Prefeitura aciona Polícia Militar para tentar evitar aglomerações em Itaú de Minas Reprodução EPTV A secretária de Saúde reforçou que só a ação da prefeitura não dá conta de parar a doença. "Essas nossas ações contra a Covid-19 tem sido o redirecionamento da rede de saúde, inclusive estamos implantando o Centro de Atendimento e Referência à Covid-19 para que os pacientes que apresentarem síndrome gripal sejam atendidos somente neste centro. Estamos também orientando a população em relação à prevenção ao coronavírus, estamos fiscalizando o comércio, festas, aglomerações, semana passada foram implantados pelo comitê, as multas para quem estiver circulando sem máscaras. A saúde pública depende da conscientização e mudança de hábitos da população, não somente o trabalho isolado das equipes de saúde vão coibir a disseminação do coronavírus", disse a secretária. Segundo o comandante do Pelotão da Polícia Militar em Itaú de Minas, tenente Rodrigo Borges, a polícia está dando o apoio solicitado pela prefeitura na zona rural e também dentro da cidade. Nos próximos dias, operações de fiscalização devem acontecer na zona rural. A cidade tem dois telefones para pedir orientações e para denúncias de aglomerações. São eles o (35) 9 8469-5745 e um exclusivo para a zona rural, o (35) 9 8464-9272. O valor da multa para quem não usar máscara na cidade é de R$ 44,58. Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas
Veja Mais

05/08 - 'Pacientes tinham fraturas, ferimentos por vidro e problemas psicológicos', diz brasileiro que atendeu vítimas da explosão em Beirute
Ghassan Said estava em casa quando quando explosão devastou zona portuária da capital libanesa. Ele voltou para hospital onde trabalha, que prestou assistência a centenas de feridos. Médico relata como foi o atendimento aos feridos após explosão e Beirute O cirurgião plástico brasileiro Ghassan Said contou nesta quarta-feira (5) como foi o atendimento às vítimas da explosão que destruiu a zona portuária de Beirute, capital do Líbano. Ghassan Said já estava em casa quando aconteceu a tragédia que matou mais de 100 pessoas e deixou mais de 4 mil feridos. Porém, voltou às pressas para o hospital em que trabalha a 37 km de Beirute. "Ficamos até hoje cedo. A gente atendeu bastante ferimentos devido a destroços de vidro, fraturas ósseas, sangramentos internos. A equipe de psiquiatria ajudou no tratamento de certos traumas psicológicos", afirmou à GloboNews. "Tivemos um dia bem cansativo ontem. Tentamos atender centenas de feridos", contou, ressaltando que as equipes de plantão receberam reforço de quem, como ele, já tinha voltado para casa. A tragédia ainda acontece em um momento de pandemia de Covid-19. Por isso, os profissionais da saúde se organizaram para levar os pacientes para a sala de emergência, mas deixavam familiares do lado de fora do centro médico a fim de evitar eventuais contaminações. No seu hospital, embora haja um departamento para tratamento de Covid-19, não há internados por causa da doença. De volta ao trabalho Na noite de terça-feira (no horário do Brasil), ele contou que tinha acabado de almoçar em sua residência, em Beirute, quando sentiu o chão de sua casa tremer. Em seguida, ouviu uma explosão e viu os vidros se quebrando. Ao correr para a sacada, viu uma fumaça rosada. Na rua, ele viu destroços dos imóveis vizinhos. Depois, ele ligou a TV, viu as chocantes imagens no jornal e decidiu voltar ao trabalho. Com os centros hospitalares da capital todos lotados, os pacientes passaram a ser transportados para locais nas proximidades. Ele passou a noite trabalhando. “Já são 4h30 da manhã e vi centenas de pacientes, estamos tentando ajudar o máximo possível nessa situação bem crítica”, contou. Ele conta que, como sou cirurgião plástico, recebeu pacientes graves. "Tinha que revisar os ferimentos para ver se tinham vidro, fazer cirurgias reparadoras”, acrescentou. ‘Hospitais ainda deverão receber pacientes com queimaduras’, diz médico brasileiro Mapa identifica a região portuária de Beirute, onde aconteceu uma grande explosão nesta terça-feira (4) G1 Initial plugin text
Veja Mais

05/08 - VÍDEOS: MG1 de quarta-feira, 5 de agosto
Assista ao telejornal com as notícias de MG. Assista ao telejornal com as notícias de MG.
Veja Mais

05/08 - VÍDEOS: TEM Notícias 1ª edição de Sorocaba, Jundiaí e Itapetininga desta quarta-feira, 5 de agosto
Assista aos vídeos do telejornal com as notícias das regiões de Sorocaba, Jundiaí e Itapetininga. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias das regiões de Sorocaba, Jundiaí e Itapetininga.
Veja Mais

05/08 - EPTV 1 Ribeirão e Franca ao vivo
Assista pela internet diariamente, a partir das 12h, ao telejornal da EPTV. EPTV 1 Ribeirão e Franca ao vivo Assista pela internet diariamente, a partir das 12h, ao telejornal da EPTV.
Veja Mais

05/08 - Polícia investiga se grupo que explodiu agência em Anchieta, no Rio, é o mesmo que roubou banco em maio
Criminosos destruíram agência e conseguiram levar um dos dois caixas eletrônicos. Testemunhas dizem que ladrões estavam em dois carros. Criminosos explodem agência bancária em Anchieta A Polícia Civil suspeita que os criminosos que explodiram a agência bancária em Anchieta, na Zona Norte do Rio, na madrugada desta quarta-feira (5), são os mesmo que há menos de três meses assaltaram outra banco na região. Investigadores acreditam que câmeras de segurança da região podem ajudar na identificação dos ladrões. A agência, da Rua Marechal Alencastro, uma das mais movimentadas do bairro, ficou completamente destruída. Segundo a polícia, a explosão foi por volta das 3h. Os criminosos destruíram dois caixas eletrônicos, sendo que um deles foi levado pelos ladrões. Durante a perícia na agência, policiais encontraram um artefato no meio dos escombros. Esse material foi levado para um local seguro, onde vai ser analisado. Ainda de acordo com a polícia, um caixa eletrônico tem capacidade para armazenar R$ 400 mil. Há informações de que os caixas da agência estavam abastecidos. Mas o Bradesco não informou quanto foi roubado. A explosão quebrou todos os vidros da agência e derrubou o forro do teto da agência. Os caixas eletrônicos ficaram todos retorcidos. Parte do equipamento dos caixas, ainda com dinheiro dentro, foram parar na calçada, assim como parte de uma câmera de segurança. Testemunhas disseram que viram bandidos em dois carros. As polícias Civil e Militar foram para o local, mas ninguém foi preso. O caso foi registrado na 31ª DP (Ricardo de Albuquerque), que fica a menos de dois quilômetros da agência. Em maio deste ano, houve uma ação semelhante numa agência da Caixa Econômica Federal, que fica próxima, no outro quarteirão.
Veja Mais

05/08 - Após MP investigar agressão a cachorro em pet shop, Câmara de Uberlândia aprova projeto que obriga gravação de áudio e vídeo neste tipo de estabelecimento
Proposta teve primeira discussão no Legislativo nesta quarta-feira (5) e ainda deve passar por segunda votação na Casa antes de seguir para apreciação do Executivo. Sessão remota da Câmara de Uberlândia nesta quarta-feira (5) Câmara de Uberlândia/Divulgação Foi aprovado na Câmara de Uberlândia, nesta quarta-feira (5), um projeto de lei que obriga a instalação de sistemas de gravação de áudio e vídeo em estabelecimentos comerciais destinados a exibição, tratamento, higiene e estética de animais domésticos, como pet shops e clínicas veterinárias. A proposta foi aceita pelos vereadores em primeira discussão, assim como três emendas apresentadas. A matéria ainda tem de passar por segunda votação na Casa. Se aprovado novamente, o texto segue para apreciação do Executivo, que pode sancionar ou vetar. O projeto é de autoria do vereador Paulo César PC (SD). Em julho deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) abriu uma investigação conta o dono de um pet shop por suspeita de agressão a um cachorro (veja abaixo). De acordo com o PC, autor do projeto, o objetivo é atender à demanda das pessoas preocupadas com os animais de estimação. Segundo ele, atualmente existe dificuldade para o registro de denúncias de violência contra animais, o que espera ver facilitado com a gravação de áudio e vídeo como prova dos maus-tratos. “Desta forma, a gravação de áudio e vídeo visa melhorar e garantir a qualidade do serviço prestado e estimular as boas práticas voltadas ao tratamento dos nossos animais de estimação. É preciso destacar que diversas capitais e metrópoles brasileiras como São Paulo (SP), Brasília (DF) e Curitiba (PR), por exemplo, já possuem legislação semelhante”, afirmou. Segundo a proposta, as gravações devem estar disponíveis aos responsáveis pelos animais atendidos, aos órgãos fiscalizadores competentes, bem como aos funcionários dos estabelecimentos, e quando solicitadas devem ser fornecidas cópias em até 10 dias. Além disso, as gravações devem ficar arquivadas por pelo menos seis meses após a realização do serviço. O texto ainda estabelece multa de até R$ 3 mil no caso de descumprimento das normas, interdição do estabelecimento, e cassação de licença e alvará de funcionamento. Se sancionada a lei, os locais terão o prazo de um ano para implementares as medidas necessárias para o cumprimento. Agressão a cachorro é investigada O dono do pet shop “Banho e Tosa do Marcinho”, em Uberlândia, é investigado pelo MPMG por suspeita de agressão a um cachorro. De acordo com promotor responsável pelo caso, Breno Lintz, um cliente do estabelecimento entregou o vídeo para a promotoria. Nas imagens, o suspeito é visto agredindo o animal durante o procedimento de tosa. (Veja abaixo). Nas imagens ainda é possível ver que o responsável pelo pet shop pressionou a cabeça do cachorro e chegou a dar um soco nele. Em seguida, também prendeu o animal em uma coleira e puxou uma das patas com força. Dois funcionários que estavam no local acompanharam as agressões. O proprietário foi intimado para prestar esclarecimentos, mas não compareceu ao MP para falar sobre o caso. Ao G1, Lintz informou nesta quarta-feira (5) que aguarda o retorno das atividades da Justiça para encaminhar o procedimento e para que o suspeito tenha o dia da instrução. Ministério Público investiga caso de cachorro agredido em Uberlândia
Veja Mais

05/08 - Criminoso rouba caminhonete em Uberlândia durante test-drive
Jovem se passou por cliente e rendeu vendedor durante trajeto. PM recuperou veículo e prendeu um suspeito de participar do assalto; autor não foi preso. Um criminoso, que se passou por cliente de uma revendedora de automóveis em Uberlândia, roubou uma caminhonete enquanto fazia test-drive, na tarde desta terça-feira (4). Segundo a Polícia Militar, o autor foi identificado, mas não foi preso. Um cúmplice foi detido. De acordo com depoimento da testemunha à PM, por volta do meio-dia, um jovem foi até a loja, localizada na Avenida João Naves de Ávila, no Bairro Luzia, e demonstrou interesse em uma caminhonete modelo Amarok V6. Após uma simulação de financiamento, o suposto cliente foi embora, dizendo que precisava discutir sobre o veículo com o irmão. Ainda de acordo com a vítima, ele voltou até a loja por volta de 16h do mesmo dia, apresentou uma proposta para adquirir o veículo e pediu para fazer um teste. Durante o trajeto, o jovem fingiu estar armado e rendeu o vendedor, mandando sair do carro e deixar o celular. Depois, fugiu sentido Bairro Morumbi. Autor identificado Conforme a ocorrência, o vendedor acionou a Polícia Militar que, através de câmeras de segurança, conseguiu identificar o autor do crime saindo de um Ford Fiesta logo antes do assalto. De acordo com a PM, o veículo foi rastreado até o Bairro Dom Almir, onde foi abordado sendo dirigido por um jovem de 21 anos, com histórico de dois inquéritos por roubo. Após interrogação, ele admitiu ter agido como cúmplice do crime, levando o autor até o local, e informou à polícia onde a caminhonete poderia ser encontrada. Ainda de acordo com a PM, o veículo foi encontrado na saída para Araguari. O jovem foi preso, mas o autor do crime não foi encontrado.
Veja Mais

05/08 - Condenado por ligação com o tráfico de drogas assume cargo de inspetor de presídio no RJ
Luciano Fagundes de Lima Pinheiro também foi condenado por posse ilegal de arma. No ano passado, ele trabalhava no gabinete do presidente da Alerj, André Ceciliano, mas foi exonerado. Condenado por ligação com o tráfico e porte ilegal de arma é nomeado como inspetor de presídio A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) nomeou Luciano Fagundes de Lima Pinheiro como inspetor de presídio. A nomeação ocorreu apesar dele já ser condenado por ligação com o tráfico de drogas e porte ilegal de armas. Em 2019, o RJ1 mostrou que ele trabalhava na Assembleia Legislativa do Rio – mais precisamente no gabinete do presidente da Casa, André Ceciliano (PT). Logo após a denúncia, ele foi exonerado. A nomeação de Luciano, que já havia trabalhado como inspetor de presídio, foi publicada nesta terça-feira (4), no Boletim Interno da Seap. A secretaria admitiu a nomeação e afirmou que o servidor foi readmitido porque não possui condenação transitada em julgado e foi classificado no concurso. A prisão aconteceu de Luciano em 2014, no dia em que a polícia ocupou o Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. Ele foi apontado como informante do traficante ‘Menor P’. Na época, os investigadores disseram que Luciano fazia a ponte entre o então chefe do tráfico na região e outro bandido – Antônio Bonfim Lopes, o “Nem da Rocinha”. Luciano foi condenado pela Justiça a 2 anos e 6 meses de prisão em regime aberto pelo crime de colaboração para o tráfico. Na casa dele, os policiais encontraram uma arma com registro vencido e um carregador de pistola de uso proibido. Por causa disso, ele também foi condenado por outro crime: posse ilegal de arma, com pena de 3 anos e 6 meses de prisão em regime semiaberto.
Veja Mais

05/08 - Live arrecada livros infantis para moradores em situação de rua de Salvador; saiba como doar
Apresentação vai ser transmitida em um perfil de uma rede social (@bradonegro), às 20h, de quinta-feira (5). Live visa arrecadar livros infantis para moradores em situação de rua de Salvador; saiba como doar Divulgação A live "Um Samba para os Erês", que vai reunir palestra e música, vai arrecadar livros infantis e donativos para destinar aos moradores em situação de rua de Salvador. O projeto vai acontecer na quinta-feira (6), às 20h, no perfil @bradonegro. A live vai contar com a palestra da professora da Faculdade de Educação da Ufba, Ana Flauzina, e também com uma apresentação musical da compositora e cantora Marilia Sodré. Para os interessados em fazer a doação, é necessário entrar em contato com os organizadores do evento nos seguintes contatos: (71) 98801-6308, para a doação das cestas básicas, e, para mais informações, contatar Larissa Souza, pelo número (71) 992158341. A Kitabu livraria negra também participará desse projeto, disponibilizando livros do catálogo com desconto. Para doar um livro, o voluntário deve acessar o site da livraria e colocar o cupom de desconto (sambaere15). Ao adquirir o livro para doar, o interessado deve preencher o formulário com os seguintes dados: Destinatário: Corra Para o Abraço Endereço: Ladeira da independência 247, Nazaré, Salvador – BA, CEP: 40040-340 Serviço Live com Ana Flauzina e Marilia Sodré Data: 06/08 Horário: às 20h Onde: no Instagram @bradonegro Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Veja Mais

05/08 - Menor é apreendida com 62 frascos de lança-perfume em Campos, no RJ
Também foram encontradas munições e uma base de radiotransmissor com a menor na manhã desta quarta-feira (5). Menor de idade é apreendida com 62 frascos de lança-perfume em Campos, no RJ Divulgação/PM Uma menor de idade foi apreendida na manhã desta quarta-feira (5) com 62 frascos da droga lança-perfume no bairro Parque Esplanada, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. De acordo com a Polícia Militar, também foram apreendidos uma munição calibre .380, 6 munições calibre 38, um coldre e uma base de radiotransmissor. A menor e o material apreendido foram encaminhados para a 134ª DP. O G1 entrou em contato com a Polícia Civil para saber se a menor continua apreendida e aguarda o retorno. Veja outras notícias da região no G1 Norte Fluminense.
Veja Mais

05/08 - VÍDEOS: EPTV 1 região de Piracicaba desta quarta, 5 de agosto
Veja as reportagens das regiões de Campinas e Piracicaba. Veja as reportagens das regiões de Campinas e Piracicaba.
Veja Mais

05/08 - Justiça Eleitoral determina bloqueio de R$ 11,3 milhões em bens de Geraldo Alckmin
Decisão atendeu pedido da Polícia Federal. Ex-governador de SP foi denunciado pelo Ministério Público na chamada Lava Jato eleitoral. Político do PSDB é acusado de receber valor da Odebrecht durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2014. Foto de arquivo de 12/03/2018 do ex- governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO A Justiça Eleitoral de São Paulo determinou na última sexta-feira (31) o sequestro de bens até o limite de R$ 11,3 milhões sobre imóveis e valores constantes nas contas bancárias do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). A informação foi divulgada nesta quarta (5) pela Polícia Federal, responsável pelo pedido. A decisão também atinge Marcos Monteiro, ex-tesoureiro do PSDB e ex-secretário de planejamento do governo paulista, e Sebastião Eduardo Alves de Castro, ex-assessor do tucano. No caso de ambos, o bloqueio é de até R$ 9,3 milhões. A decisão é do juiz Marco Antonio Martin Vargas, titular da 1ª Zona Eleitoral da capital paulista. "Verifico que os elementos de informação acostados autos conduzem a conclusão de que o sequestro dos bens móveis e imóveis dos representados se perfaz medida plausível e necessária a impedir a dilapidação patrimonial e assegurar a eventual reparação futura dos bens, bem como a efetividade de uma eventual e futura persecução criminal, com fundamento no art. 4º da Lei nº 9.613/98, e nos arts. 125 e 132, ambos do Código de Processo Penal", diz o documento. O G1 entrou em contato com a assessoria do ex-governador e demais citados e aguarda retorno. Alckmin virou réu por caixa 2, corrupção e lavagem de dinheiro no final de julho, após a Justiça aceitar denúncia do Ministério Público contra o ex-governador. Na ocasião, a defesa de Alckmin afirmou que "a denúncia ora recebida pelo Poder Judiciário dará a oportunidade que foi até agora negada ao ex-governador Geraldo Alckmin de se defender e de contraditar as falsas e injustas acusações de que está sendo vítima e, principalmente, de provar a sua improcedência". O Ministério Público acusou Geraldo Alckmin de receber R$ 11,3 milhões da Odebrecht durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2014 ao governo do estado de São Paulo pelo PSDB. O ex-governador foi citado por três delatores do grupo. Segundo o MP, Alckmin recebeu os recursos sob o uso de diversos codinomes, como "pastel", "pudim" e "bolero". Além de Alckmin, também se tornaram réus Marco Antônio Monteiro, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Luiz Antônio Bueno Júnior, Arnaldo Cumplido de Souza e Silva, Maria Lúcia Guimarães Tavares, Alvaro José Gallies Novis, Sebastião Eduardo Alves de Castro, Fernando Migliaccio da Silva e Luiz Eduardo da Rocha Soareso. De acordo com os promotores que investigaram o caso, as transferências para Alckmin foram feitas via caixa 2. Isso porque a empreiteira estava impedida de fazer doações eleitorais em razão de ter contratos com o governo. Ainda segundo os promotores, Geraldo Alckmin sabia que o valor não seria declarado. Geraldo Alckmin é denunciado por caixa dois, corrupção passiva e lavagem de dinheiro Codinomes Segundo a denúncia, Geraldo Alckmin apareceu com codinomes diferentes nas planilhas de propina da Odebrecht. Na campanha de 2010, o nome do ex-governador vinha associado ao codinome "Belém". Ainda segundo a denúncia, na eleição seguinte, em 2014, Alckmin foi identificado como "Meia" em uma tabela disfarçada, que usava termos do futebol. A acusação aponta que, em 2010, os pagamentos foram intermediados por Adhemar Cesar Ribeiro, cunhado de Alckmin. Adhemar só não foi denunciado porque, segundo os promotores, o prazo para processá-lo pelos crimes já prescreveu por causa da idade dele. Geraldo Alckmin é denunciado por três crimes O Ministério Público disse ainda que Marcos Antônio Monteiro intermediou os pagamentos de 2014. Os promotores afirmaram que os pagamentos faziam parte dos planos da Odebrecht de manter e de ampliar as relações com o governo de São Paulo. Segundo a acusação, a empreiteira tinha interesse em obras viárias e em projetos de transporte, especialmente do metrô e do monotrilho. O Ministério Público também incluiu na denúncia os nomes de seis delatores da Odebrecht, que terão as eventuais penas estabelecidas de acordo com os termos de colaboração premiada de cada um deles firmou com a Procuradoria Geral da República (PGR). O que disse a defesa de Alckmin "A denúncia ora recebida pelo Poder Judiciário dará a oportunidade que foi até agora negada ao ex-governador Geraldo Alckmin de se defender e de contraditar as falsas e injustas acusações de que está sendo vítima e, principalmente, de provar a sua improcedência. Por esta nota, em respeito à opinião pública e à confiança da sociedade, de que sempre foi merecedor, lamenta essa injusta e indevida exposição, confiante de que, ao final do processo, a verdade e a justiça prevalecerão, pois nunca recebeu valores a título de contribuição de campanha eleitoral que não tenham sido devidamente declarados nos termos da legislação vigente, nem tampouco praticou qualquer ato de corrupção, como, aliás, nunca fez durante mais de 40 anos de vida pública." O que diz o PSDB de SP "O Diretório Estadual do PSDB-SP reitera sua confiança na idoneidade do ex-governador Geraldo Alckmin. Em seus mais de 40 anos de vida pública, Alckmin manteve uma postura de retidão e respeito à lei sem jamais abrir mão dos princípios éticos e de seu compromisso em servir ao setor público e ao cidadão. Acreditamos na Justiça e temos convicção de que, ao final do processo, os fatos serão devidamente esclarecidos. Marco Vinholi – Presidente Estadual do PSDB-SP" Veja a nota da defesa de Marcos Monteiro: "A defesa de Marcos Monteiro manifesta sua absoluta indignação com os infundados fatos apresentados na denúncia, fruto da reiteração de procedimentos que visam atingir o direito de defesa e o contraditório. Tem absoluta confiança de que provará sua inocência, no momento em que for ouvido nos autos. Reitera, uma vez mais, sua confiança no Poder Judiciário para sustentar com absoluta convicção que Marcos Monteiro não tem qualquer relação com as obras realizadas pela Construtora Norberto Odebrecht." Initial plugin text
Veja Mais

05/08 - Santuário de MT leiloa obras de arte para arrecadar fundos e comemorar o ‘Dia Mundial do Elefante’
Foram selecionadas para o leilão obras de 19 artistas brasileiros que possuem conexões especiais com os animais. Obra da artista Carolina Spina faz parte do leilão Divulgação O Santuário de Elefantes Brasil (SEB), em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, está fazendo um leilão virtual de obras de arte para arrecadar fundos para a instituição e comemorar o ‘Dia Mundial do Elefante’, celebrado no dia 12 de agosto. Com o tema ‘Sou um elefante, novamente’, o Santuário usa a arte para tentar conscientizar o público sobre os impactos negativos que a vida em cativeiro causa sobre os elefantes e demonstrar como esses animais se transformam no local. Obras estão disponíveis para ofertas no leilão do Santuário de Elefantes SEB/Reprodução Os lances podem ser oferecidos pela internet a partir desta quarta-feira (5) até o dia 12 deste mês. A exposição dos quadros também é virtual. Tela de Clóvis Irigaray pode ser arrematada em leilão Divulgação Foram selecionadas obras de dezenove artistas brasileiros que possuem conexões especiais com os animais. Todos as obras foram doadas. Umas delas é “Em Sintonia”, do artista Clóvis Irigaray. A obra retrata um magnífico elefante africano, símbolo do primeiro indivíduo da espécie que chegará brevemente ao Santuário de Elefantes. Telas de Sandra Hiromoto Divulgação Sandra Hiromoto teve como inspiração a exuberante Maia nas duas obras cheias de cores, 80 x 68 cm, pintura em técnica de estêncil arte, com uso de tinta acrílica e spray arte urbana. O evento será realizado por meio de uma plataforma de Leilão integrada ao site da organização e terá início no dia 5 de agosto. Os interessados poderão dar lances até o dia 12, quando é comemorado o Dia Mundial do Elefante. Artista Edson Ramos retrata elefanta Lady em tela, usando tinta acrílica sobre papel canson Divulgação Artistas participantes: Clóvis Irigaray, Michel Scarano, Annike Limborco, Birgitte Tümmler, Sandra Hiromoto, Sandra Koche, Carol Wang, Gregório Marangoni, Edson Ramos, Carolina Spina, Nilo Medinaceli, Evandro Karvat, Lígia Barros, Rafael Jonnier, Rubi Reolon, Anna Marimon, Eduardo Ferreira, Sophie Reitermann e Marcos Anselmo. A artista Carolina Apina, em sua obra “Homenagem a Maia e Guida”, com técnica aquarela sobre papel canson, eterniza a preciosa amizade entre Maia e Guida, que morreram no Santuário. O encerramento do leilão acontecerá por meio de uma live, tendo como anfitriões e leiloeiros os atores Camila Queiroz e Klebber Toledo. Durante a live, os apoiadores poderão realizar doações para o Santuário. Santuário abriga animais resgatados Santuário de Elefantes/Divulgação O Santuário A organização cuida dos elefantes resgatados de cativeiro desde 2013. A equipe de voluntários construiu habitats para esses animais em um local de 1.240 hectares. Seis elefantes já foram resgatados: Maia, Guida, Rana, Ramba, Lady e Mara. “No momento em que os elefantes resgatados pisam no solo do Santuário, sua transformação física e emocional se inicia instantaneamente. Os vastos espaços seguros, o ambiente emocionalmente estimulante, os cuidados de uma equipe multidisciplinar e a companhia de uma manada, são fatores que impactam positivamente a recuperação dos elefantes”, afirma o Santuário.
Veja Mais

05/08 - Justiça determina suspensão do trabalho presencial de servidores do Poder Judiciário de Sergipe
TJ diz que não foi intimidado oficialmente da decisão. A Justiça do Trabalho determinou, nesta quarta-feira (5), a suspensão do retorno ao trabalho presencial dos servidores judiciais. A determinação atende a uma ação civil pública movida pelo Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe, para que o formato presencial não fosse retomado em virtude dos riscos relacionados à pandemia do novo coronavírus. A suspensão do retorno das atividades presenciais tem ressalvada a hipótese das situações urgentes e inadiáveis que objetivem garantir a segurança das operações, além de evitar o perecimento de direitos que não possam ser cumpridas remotamente. E determina termina ainda o regime de trabalho domiciliar aos substituídos, que integram o grupo de risco, sob pena de pagamento de multa diária de 50 mil, em caso descumprimento. Os valores serão revertidos à instituições ou projetos públicos ou privados, de fins não lucrativos, que tenham objetivos filantrópicos a serem indicados pelo Ministério Público do Trabalho, preferencialmente para o combate à epidemia do Covid-19 no estado de Sergipe. O Tribunal de Justiça de Sergipe informou que não foi intimado oficialmente da decisão e se pronunciará oportunamente sobre o caso. E que nesta quinta-feira, o Gabinete de Crise se reunirá para tratar desse assunto
Veja Mais

05/08 - Homem é preso suspeito de comprar mercadorias com cartões de crédito clonados, em Goiânia
Policiais o localizaram após uma das pessoas lesadas denunciar o golpe. Segundo ela, itens adquiridos por ele valem cerca de R$ 20 mil. Homem é preso suspeito de clonar cartões de crédito em Goiânia A Polícia Militar (PM) prendeu um homem de 31 anos pela suspeita de clonar cartões de crédito para comprar celulares, roupas, notebooks, perfumes importados e bebidas, em Goiânia. Segundo uma das vítimas, que não quer se identificar e foi à casa dele, os itens encontrados com o investigado são avaliados em cerca de R$ 20 mil. Como o nome do investigado não foi divulgado, a reportagem não conseguiu localizar a defesa dele. A prisão aconteceu na segunda-feira (3). Uma vítima, que não quis ser identificada, contou que percebeu na fatura do cartão algumas compras de perfumes importados no valor de R$ 800, que não havia feito. Ela entrou em contato com os estabelecimentos para entender o que poderia ter acontecido. Ao suspeitar de uma fraude, ela entrou em contato com a polícia, que deslocou até o local do fato. "Entrei em contato com a primeira loja, me identifiquei e disse que havia ocorrido uma fraude, e eles me atenderam e me passaram o endereço de onde seria a entrega, o nome do comprador. Eu estava ao lado de um policial militar. De pronto, ele acionou a equipe dele e se deslocou até o local do fato", pontua a vítima. A mulher lesada afirma que, na casa do suspeito, havia inúmeros produtos. "Eles chegaram no local e encontraram outras mercadorias também, um total assim, por cima, de mais de R$ 20 mil em mercadorias que foram compradas, segundo o autor, de forma ilícita", relata. Segundo a PM, o homem disse que conseguiu os dados das vítimas pela pela internet. Ele foi encaminhado para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, que deve investigar o caso. Polícia encontra R$ 20 mil em mercadoria com homem preso suspeito de clonar cartão, em Goiânia, Goiás. Reprodução/TV Anhanguera Veja outras notícias da região no G1 Goiás. Pelo menos 20 mil reais em mercadorias estava com ele nessa casa Um homem foi preso pela Polícia Militar, em Goiânia, após Tinha perfumes importados, produtos eletrônicos, celulares, carregadores, notebooks, bebidas, roupas Uma das vítimas que teve o cartão clonado estranhou uma das compras feitas feitas pela internet no valor de R$ 800 em uma loja de perfumes importados e entrou em contato com a loja para entender que compra tinha sido essa. A funcionária da loja informou o endereço que seria entregue essa mercadoria, disse inclusive que o entregador estava saindo para fazer a entrega. Com base nessas informações, a vítima chamou a polícia. A polícia foi junto com o entregador. Qdo o entregador fez a entrega, a polícia fez a abordagem e quem recebeu a compra nao fez a compra, apenas estava recendo o produto, a pessoa nao estava em casa. A polícia descobriu o endereço de quem fez a compra e viu as mercadorias "Por volta das 14h, vi na fatura do meu cartão que haviam compras no meu cartão que não tinham sido feitas por mim. Entrei em contato com a loja, com a primeira loja, me identifiquei, que havia ocorrido uma fraude e eles me atenderam e me passaram o endereço de onde seria a entrega, o nome. Eu estava ao lado de um policial militar, de pronto ele acionou a equipe dele, e eles deslocaram até o local do fato. Eles chegaram no local e encontraram outras mercadorias também, um total assim, por cima, mais de 20 mil mercadorias que foram compras, segundo o autor, de forma ilícita". A polícia quis saber como esse estelionatário conseguiu essas informações. Ele disse a polícia que essas informações ele conseguiu por meio das redes sociais. O caso foi encaminhado para a Central de Flagrantes e a PC vai investigar o caso
Veja Mais

05/08 - Assista ao Bahia Meio Dia
Assista ao Bahia Meio Dia
Veja Mais

05/08 - Hospital da UFU procura família de paciente internada sem identificação em Uberlândia
Pessoa está hospitalizada, desde o dia 10 de julho, na Unidade de Saúde Mental da instituição. O Hospital de Clinicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) procura a família de uma paciente que deu entrada no final da noite do dia 10 de julho, sem identificação. Ela foi encaminhada pela equipe do Sistema Integrado de Atendimento a Traumas e Emergência (Siate), e agora está internada na Unidade de Saúde Mental da instituição. De acordo com a assessoria do hospital, ela é morena, magra, aparenta ter entre 30 e 35 anos, olhos castanhos, cabelo curto e castanho escuro e mede, aproximadamente, 1,55 m de altura. Quem souber informações sobre a paciente deve entrar em contato com o Serviço Social pelo telefone (34) 3218-2156.
Veja Mais

05/08 - AO VIVO: Assista ao Jornal de Rondônia 1ª Edição
Veja ao vivo o telejornal da Rede Amazônica Rondônia. AO VIVO: Assista ao Jornal de Rondônia 1ª Edição Veja ao vivo o telejornal da Rede Amazônica Rondônia. O G1 transmite ao vivo, diariamente, os telejornais Jornal de Rondônia 1ª edição, às 11h, e o Jornal de Rondônia 2ª edição a partir de 18h.
Veja Mais

05/08 - Quase 1,8 mil escolas e 695 unidades de saúde do RJ estão em áreas dominadas pelo crime organizado, diz polícia
Números representam 16% e 15% do número de unidades em todo o Estado. Milícias lideram denúncias do Disque Denúncia em 2019. Entre as 4,8 mil unidades de saúde do RJ, 695 estão em áreas dominadas pela milícia ou pelo tráfico. São 14% dos estabelecimentos. Com relação às escolas, quase 1,8 mil das 11,2 mil unidades escolares estão localizadas nessas regiões dominadas pelo crime organizado, ou quase 16%. São 505 mil alunos em áreas dominadas pelo tráfico de drogas ou pela milícia. Esse número representa 14% dos mais de 3,5 milhões de alunos matriculados nos estabelecimentos de ensino em todo o RJ. Segundo as informações da Subsecretaria de Inteligência da Polícia Civil, 986 das 1,8 mil escolas (ou 55% desse segmento) estão em localidades dominadas pela maior facção de tráfico de drogas do RJ. Outras 476 (26%) ficam em áreas dominadas pela milícia. No caso das 695 unidades de saúde, 436 (62%) estão em áreas dominadas pela maior facção de tráfico de drogas. Outras 127 (18%) estão em áreas de milícias, enquanto os outros 20% (132) estão divididos entre duas outras facções de traficantes de drogas. Os dados estão em um relatório da Polícia Civil, com base em dados do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Para as escolas, a polícia cruzou dados do Disque Denúncia, fontes abertas e informações do Censo Escolar da Educação Básica 2018 (Ministério da Educação) com as informações sobre áreas dominadas por criminosos. São mais de 1,4 mil favelas, segundo a polícia. "Escolas, creches e hospitais são invadidos e utilizados como esconderijo, guarda de drogas e armas, coação de professores, alunos, médicos, enfermeiros e pacientes, entre outras atrocidades praticadas pelo crime organizado", diz um trecho do relatório da Polícia Civil, enviado na segunda-feira (3). O documento foi enviado à Procuradoria-Geral do Rio para falar sobre os impactos da decisão do ministro Edson Fachin de suspender liminarmente as operações policiais durante o período de pandemia da Covid-19. Na terça-feira (4), por 8 votos a 2, os ministros votaram pela permanência da proibição. Milícias lideram denúncias O documento reuniu todas as queixas feitas ao Disque Denúncia entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2019. Foi feito ainda um cruzamento de dados com as mais de 1,4 mil comunidades dominadas pelo crime organizado do Rio, segundo a Polícia Civil. Segundo a Subsecretaria de Inteligência, 60% das 11.769 delações feitas ao Disque-Denúncia no ano de 2019 envolviam milícias. Foram 7.138 denúncias envolvendo as milícias, com outras 3.953 citando áreas dominadas pela maior facção de tráfico de drogas do RJ, seguida por outros dois grupos de traficantes com 678 denúncias. 2 milhões de eleitores Investigações mostram como criminosos influenciam votos nas eleições O mesmo relatório revela que, dos 5 mil locais de votação, 672 zonas ficam em áreas com forte atuação do tráfico ou da milícia e quase 2 milhões de eleitores votam nessas regiões. O mapeamento foi feito com base em ligações ao Disque Denúncia. Em uma delas, de 2018, traficantes da comunidade da Coréia, em Senador Camará, Zona Oeste, são acusados de promover uma festa com a participação de um grupo de pagode para apresentar alguns candidatos que os criminosos estão apoiando. Em outra, também às vésperas da eleição daquele ano, a pessoa diz que pessoas armadas coagiram a população votar em um candidato específico num colégio. O mapa mostra que a maior concentração de zonas eleitorais em localidades influenciadas por grupos criminosos fica na Região Metropolitana do Rio. Ao todo, o Rio tem cerca de 12 milhões de eleitores. "Nós temos que trabalhar é com a inteligência. Não é possível o TRE fazer operações, mega operações de entrada em comunidades. Não. O trabalho tem que ser de inteligência pra poder pontualmente identificar esses candidatos que venham a ser beneficiados e, se for o caso, eles perderem o mandato, terem os registros cassados por conta desse abuso de poder", afirma Luiz Márcio Pereira, juiz auxiliar da corregedoria do TRE-RJ.
Veja Mais

05/08 - Câmeras registram furto de pavão branco de uma escola particular de Londrina
Ave chamada de Alfa vivia na escola há dois anos e era como uma espécie de mascote da escola. Polícia Militar pede ajuda da comunidade para localizar pavão e o suspeito. Pavão é furtado em Londrina Câmeras de segurança flagraram o furto de um pavão branco dentro de uma escola particular em Londrina, no norte do Paraná, na noite de terça-feira (4). A ave era uma espécie de "mascote" das crianças. As imagens de câmeras de segurança mostram um homem chegando com uma escada. Ele sobe e logo aparece segurando o pavão branco. A ave se solta e tenta fugir. Mas, o homem consegue capturá-la novamente. Outra câmera registra o ladrão indo embora caminhando com o pavão nos braços. O pavão furtado é uma fêmea. Atração não só para os alunos da escola como também para quem passava em frente à instituição, era possível observá-la pelo vidro. Outro fato é que o bicho costumava dormir em cima do muro, no local onde o ladrão pegou o animal. O pavão levado era chamado de Alfa e vivia no colégio há 2 anos, junto com outros animais, como galinhas. Os bichos são usados para interação no ensino das crianças. A Polícia Militar diz que as denúncias serão fundamentais para que o ladrão e o animal furtado sejam localizados. “É um animal raro pela sua cor, é branco. Contamos com a ajuda da comunidade para localizar a ave e prender o ladrão”, destacou o tenente Emerson Castro. Pavão foi furtado de escola particular de Londrina PM/Divulgação Depois de furtar pavão branco, homem saiu andando pela rua PM/Divulgação Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Veja Mais

05/08 - VÍDEOS: EPTV 1 Campinas desta quarta-feira, 5 de agosto
Veja reportagens das regiões de Campinas e Piracicaba. Veja reportagens das regiões de Campinas e Piracicaba.
Veja Mais

05/08 - VÍDEOS: Reveja as reportagens do EPTV 1 desta quarta-feira, 5 de agosto
Confira o que foi notícia nas cidades da região. Confira o que foi notícia nas cidades da região.
Veja Mais

05/08 - EPTV 1 Campinas ao vivo
Assista pela internet diariamente, a partir das 12h, ao telejornal da EPTV. EPTV 1 Campinas ao vivo Assista pela internet diariamente, a partir das 12h, ao telejornal da EPTV.
Veja Mais

05/08 - Governo fala do combate ao coronavírus em SP
Governador Doria dá entrevista coletiva nesta quarta-feira (5). Governo fala do combate ao coronavírus em SP Governador Doria dá entrevista coletiva nesta quarta-feira (5).
Veja Mais

05/08 - Moradora de Beirute relata tremores durante explosão: 'Pedaços do teto caíram em mim'
Lea Khoury mora no Líbano e tem família em Brasília. Jovem, de 33 anos, estava a oito quilômetros do porto quando houve estrondo. Vidraças foram quebradas na casa de Lea Khoury, moradora de Beirute, no Líbano, após explosão em área portuária Arquivo pessoal Vidros quebrados, fumaça e tremores. É assim que Lea Khoury, de 33 anos, descreve o cenário que encontrou nas ruas minutos após a explosão na área portuária de Beirute, no Líbano, nesta terça-feira (4). A jovem é libanesa e mora a oito quilômetros do incidente. Ao G1, nesta quarta-feira (5), Lea contou que estava na academia, por volta das 18h – no horário do Líbano, 12h no Brasil – quando sentiu o que imaginava ser um "terremoto". “Foi horrível. Eu estava fazendo abdominais, deitada de costas para o chão. Primeiro, a energia caiu, senti um terremoto, levantei para perguntar para uma menina do meu lado se ela sentiu também, quando senti um outro 'terremoto' mais forte”, disse. “Escutamos o barulho, que estourou os vidros, e pedaços do teto caíram em cima de mim." VÍDEOS mostram momento exato da explosão, pânico e grande destruição Veja como era a região portuária de Beirute antes da explosão A duas “ondas” de tremor, segundo a dona de casa, antecederam o barulho da explosão e houve o que ela chamou de "uma pressão muito forte”. Só depois, a libanesa afirma que percebeu a dimensão dos estragos. Fumaça e carros parados Lea Khoury, os filhos e o marido Arquivo pessoal A academia onde ela estava no momento da explosão fica em um prédio no mesmo quarteirão onde mora. Após os primeiros impactos, todos correram para fora. “Foi quando vimos aquela fumaça enorme, preta, os carros na rua paravam. Eu esperei cinco minutos até tudo parecer mais calmo e fui para casa.” Brasileiros que moram em Beirute relatam momentos de pânico após explosão Lea mora com o marido e dois filhos. Quando chegou em casa, a dona de casa conta que encontrou a cortina no chão e móveis danificados. Ninguém se feriu. “Na minha casa, as janelas estavam todas abertas, porque é verão. No vizinho, a porta arrombou”, conta. Em 10 minutos, familiares ligaram para Leia para saber se ela estava bem. “Ficaram todos assustados”, conta. A jovem tem família em Brasília e em Minas Gerais e chegou a morar no DF, em 2007. Vidraças foram quebradas na casa de Lea Khoury, moradora de Beirute, no Líbano, após explosão em área portuária Arquivo pessoal 'Incerteza' Um dia após a tragédia, Lea conta que o cenário ainda é de destruição na rua. O governo local declarou estado de emergência por 15 dias. “A prioridade no momento são as pessoas feridas. Há campanhas para arrecadar materiais para os hospitais”. Além da explosão, o país sofre com crise financeira. Lea está desempregada e o marido trabalha na embaixada da França. A cidade estava em processo de flexibilização do isolamento social devido à pandemia de coronavírus. “Algumas atividades estavam sendo retomadas, mas agora teve a explosão. Não sabemos o que vai acontecer.” Equipes de resgate e agentes de segurança trabalham no local de uma explosão que atingiu o porto de Beirute, no Líbano, nesta quarta-feira (5) Hussein Malla/AP Lea está desempregada e o marido trabalha na embaixada da França. “Já estávamos em uma situação financeira ruim no país, depois veio a pandemia, e agora, a explosão. O país está a beira de falir”, comenta. Após o susto, a libanesa afirma que para os próximos dias o sentimento é de incerteza. “A gente não sabe o que vai acontecer ainda. Mas, graças a Deus, estamos bem”. Initial plugin text Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Veja Mais

05/08 - Após perder pai para Covid, filho do palhaço Chumbrega relembra parceria no picadeiro: 'Inspiração'
Athos Silva Miranda estava internado em Jundiaí (SP) e era considerado um dos artistas mais antigos no ramo circense. Ele fazia espetáculos pelo Circo Di Napoli. Palhaço Chumbrega com o filho Pankeka e o neto Chumbreguinha Marlon Antonio Pires Miranda/Arquivo pessoal "O palhaço pode quase tudo, só não pode deixar a plateia triste". A frase, dita uma vez pelo artista circense Athos Silva Miranda, o palhaço Chumbrega, foi relembrada pelo filho, Marlon Antonio Pires Miranda, após a morte do pai, em Jundiaí (SP), por complicações da Covid-19. Nascido em Birigui (SP) e considerado um dos mais antigos no ramo circense, Athos morreu na segunda-feira (3), aos 77 anos. Atualmente, ele o filho faziam apresentações pelo Circo Di Napoli, que está em Campo Limpo Paulista (SP). Confira os números do coronavírus nas regiões de Sorocaba e Jundiaí Ao G1, Marlon, também conhecido como palhaço Pankeka, conta que trabalhou ao lado do pai no circo durante mais de 30 anos. Por isso, o via como uma inspiração. "Desde o começo da minha vida, nunca saí do lado dele. Meu pai ficou muito marcado. Ele cativou muitas pessoas, que gostavam dele por ser uma pessoa honesta e justa. Ele era muito bom. Meu pai era uma inspiração para mim", comenta o filho, que é de Bauru (SP). Palhaço Chumbrega morreu na segunda-feira (3) em Jundiaí Paulo Pinto/Fotos Públicas Contando com Marlon, Athos teve seis filhos – destes, cinco seguiram a carreira do pai, mas em circos diferentes. Um dos netos, o palhaço Chumbreguinha, também se apresentava com o pai, Marlon, e o avô. "Na apresentação, ele tentava tocar um violino e eu, junto com o meu filho, entrava para atrapalhar com outros instrumentos. Eram três gerações no mesmo picadeiro", explica o palhaço Pankeka. Chumbrega trabalhou em alguns dos maiores circos do Brasil, como Di Roma, Spacial, Charles Barry, Beto Carrero, Marcos Frota e Stankowich, que é considerado o mais antigo do país. "As lembranças boas vêm, porque ele não tinha só seis filhos, tinha uns cinco mil. É tanta gente dizendo que ele foi um pai...o eterno Chumbrega: ele vai ser lembrado assim." Palhaço Chumbrega morreu em decorrência da Covid-19 em Jundiaí Marlon Antonio Pires Miranda/Arquivo pessoal 'Chegou o momento' Athos foi internado no dia 17 de julho, no Hospital das Clínicas de Campo Limpo Paulista, onde o circo está estacionado. Em seguida, foi transferido para o Hospital São Vicente, em Jundiaí. "Nesses dias que ele ficou internado, tivemos muita esperança. Ele era muito forte, por isso ninguém acredita. Não tem velório, não tem enterro, não tem nada. É tudo muito triste. Além da morte, tudo é muito doloroso", relata o filho. A Fundação Nacional de Artes (Funarte), o Circo Di Napoli, colegas de trabalho e amigos lamentaram a perda nas redes sociais. Chumbrega foi enterrado no Cemitério Bosque da Saudade, em Campo Limpo Paulista. "Cada um tem uma crença, uma religião e eu acredito muito que, pela vontade que ele tinha de viver, de ficar com a família, creio que chegou o momento. Não tem conforto nessa hora. Ele não era só meu pai, era meu eterno companheiro. Foram 33 anos e para mim dói muito, mas tenho que aprender a conviver com as lembranças", conclui Marlon. Filho do Palhaço Chumbrega relembra parceria no picadeiro Marlon Antonio Pires Miranda/Arquivo pessoal Palhaço Chumbrega morreu de Covid-19 em Jundiaí Paulo Pinto/Fotos Públicas Initial plugin text *Colaborou sob supervisão de Ana Paula Yabiku. Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí
Veja Mais

05/08 - RJ1 NO AR: assista ao vivo pelo G1
Telejornal também é transmitido diariamente pela internet a partir de meio-dia. RJ1 NO AR: assista ao vivo pelo G1 Telejornal também é transmitido diariamente pela internet a partir de meio-dia.
Veja Mais

05/08 - EPTV 1 Piracicaba ao vivo
Assista diariamente ao telejornal da EPTV pela internet. EPTV 1 Piracicaba ao vivo Assista diariamente ao telejornal da EPTV pela internet.
Veja Mais